Anvisa

  • Anvisa classifica Hospital de Base Ary Pinheiro como único hospital seguro na região Norte

    Foto: Ítalo Ricardo e Jeferson Mota

    Dados do setor de monitoramento da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) apontam o Hospital de Base Ary Pinheiro – referência no tratamento de alta complexidade em Rondônia -, como único Hospital Seguro da região Norte.

    Os números foram divulgados pelo boletim técnico da Anvisa publicado no início deste mês. Com o resultado na avaliação feita, o HB passou para a categoria A em segurança sanitária, classificação que exigem notas entre 27, 9 a 38. De acordo com a Anvisa, a nota do Hospital de Base Ary Pinheiro é 33,10.

    Conforme o diretor técnico Rodrigo Bastos, a nova avaliação mostra o compromisso de toda equipe do Hospital de Base que vem, a cada ano, adotando e impondo protocolos internacionais de conduta e normas.

    Na primeira avaliação, ocorrida em 2014, o Hospital de Base Ary Pinheiro ficou com baixa avaliação. À época, a nota foi apenas 18, menor pelo processo de avaliação realizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Entre 2015 e 2016 foi registrado uma melhora na avaliação, ficando com 18, 87.

    Em entre 2016 e 2017 as notas obtiveram um avanço, ficando com 24, 51 e 25, 96. De acordo com Rodrigo Bastos, o avanço está ligado diretamente à melhoria da qualidade dos serviços prestados, pela qualificação e conscientização dos profissionais de saúde, pelo foco adotado pela gestão da unidade hospitalar, ampliação das ações do Núcleo de Segurança do Paciente, entre outras medidas e protocolos que são seguidos por médicos, enfermeiros, auxiliares e todo o pessoal de apoio.

    Rodrigo Bastos destaca que o Núcleo de Segurança do Paciente  segue todas as diretrizes do Programa Nacional de Segurança do Paciente (PNSP), do Ministério da Saúde (MS), programa criado para contribuir para a qualificação do cuidado em saúde em todos os estabelecimentos de saúde do território nacional. A Segurança do Paciente é um dos seis atributos da qualidade do cuidado e tem adquirido, em todo o mundo, grande importância para os pacientes, famílias, gestores e profissionais de saúde com a finalidade de oferecer uma assistência segura.

    Outro fator destacado por Rodrigo Bastos foi o investimento feito pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesau) na melhoria da ambiência Hospital de Base Ary Pinheiro. Receberam reformas, troca de piso – em todos os corredores – pintura novas, e moderno processo de assepsia de enfermarias, centro cirúrgicos, laboratórios, entre outras medidas adotadas pela gestão do Hospital de Base.

    Fonte: Secom – Governo de Rondônia – Texto: Zacarias Pena Verde


     

  • Anvisa aprova novos tratamentos contra o câncer

    Fábio Pozzebom/Agência Brasil

    A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou esta semana três novos tratamentos para o câncer. Para pacientes com câncer de próstata, foi aprovado o registro do medicamento Erleada (apalutamida), que será comercializado na forma farmacêutica de comprimido revestido, na concentração de 60 miligramas (mg).

    De acordo com a agência, o remédio, com dose de 240 mg (quatro comprimidos revestidos de 60 mg), em combinação com terapia de privação androgênica (castração medicamentosa ou cirúrgica), é indicado para o tratamento de pacientes adultos com câncer de próstata não metastático resistente à castração.

    Câncer nos rins

    Pacientes diagnosticados com carcinoma de células renais – um tipo de câncer nos rins – passaram a contar com uma nova indicação terapêutica, resultado da combinação de dois produtos biológicos usados em tratamentos oncológicos. Os medicamentos são o Opdivo (nivolumabe) e o Yervoy (ipilimumabe), que integram o rol de novas opções de terapias para o combate ao câncer, denominadas imunoterapias.

    A nova indicação aprovada pela Anvisa é direcionada para o tratamento de primeira linha em pacientes adultos com carcinoma de células renais de risco intermediário ou alto.

    A agência também aprovou o registro de um novo medicamento para o tratamento de carcinoma de células renais avançado. O produto é o Cabometyx (levomalato de cabozantinibe), que será comercializado na forma farmacêutica de comprimido revestido, nas concentrações de 20 mg, 40 mg e 60 mg.

    O remédio, segundo a Anvisa, é indicado para adultos não tratados previamente (primeira linha) e para pacientes que já passaram por outro tratamento (segunda linha).

    Edição: Juliana Andrade
    Por Paula Laboissière – Repórter da Agência Brasil – Fonte: Agenciabrasil.ebc.com.br
    .
Close