Parceria entre Idep e Setur viabiliza cursos profissionalizantes em Rondônia

Secom/Governo de Rondônia

O Governo de Rondônia, por meio de parceria entre o Instituto de Desenvolvimento da Educação Profissional (Idep) e Superintendência Estadual de Turismo (Setur), oferece 10 mil vagas para cursos profissionalizantes na área de Turismo, de curta e longa duração, além da escola sobre carretas percorrendo os municípios e o fomento ao cooperativismo na região da Hidrelétrica Jirau, que vão beneficiar a população desempregada no Estado.

Os cursos técnicos têm 800 horas de duração, formando alunos em até dois anos, por meio da Formação Inicial Continuada (FIC), com curta duração, de forma a qualificar rapidamente a pessoa, certificando-a e a aperfeiçoando. No site do Idep é possível verificar as vagas disponíveis: http://cursos.idep.ro.gov.br/.

O planejamento estratégico dos cursos começou em 2019 e resultou na programação do Idep até 2023. Conforme o coordenador de Ações Turísticas da Setur, Willian Vierno, ainda sem a certeza do panorama da Saúde nos próximos meses, Idep e Setur programam um trabalho híbrido, presencial e on-line.

O curso técnico em Turismo engloba eventos, guias, hospedagem, marketing, restaurante e bar. Já os de curta duração se destinam a agentes de informações turísticas, empreendedorismo, marketing do turismo, turismo receptivo e gestão da propriedade rural.

A Coordenação de Ações Turísticas apurou os entraves existentes, concluindo que o turismo receptivo ainda é o gargalo do setor e o trabalho de marketing pode evoluir para expandir o potencial turístico no Estado. A Setur tem proposta para solucioná-lo, consubstanciada na seguinte meta: ao ingressar no mercado, os formandos também se especializam.

“Desde 2019 vislumbramos essa melhoria e apesar da pandemia (do novo coronavírus) já temos atualmente pessoas vendendo pacotes e produzindo renda para elas e o Estado”.

O Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), associações comerciais, sindicatos e associações municipais trabalharam conjuntamente com o Instituto na escolha de prioridades para as zonas urbana e rural. Em 2020, os primeiros cursos foram planejados. Paralelamente, o governo estadual investiu R$ 9 milhões, adquirindo quatro unidades móveis (carretas) com carteiras escolares. Em fase de montagem, cada uma delas tem capacidade para atender 20 alunos. São carretas adaptadas para se movimentar dentro dos 52 municípios do Estado.

Uma das carretas é acompanhada por trator e duas servem para os cursos de empreendedorismo em panificação e confeitaria, e imagem pessoal (cabeleireiro, estética, entre outros).

“É um modelo inovador, porque dispensa muitos investimentos locais; geralmente, estruturas locais saem caras e depois caducam”, frisa a presidente do Idep, Adir Josefa Oliveira.

Segundo ela explica, o modelo “escola sobre rodas” é uma tendência nacional. “Teremos facilidade de promover cursos na área madeireira no Distrito de Extrema, rodovia BR-364, a 307 quilômetros de Porto Velho”, exemplificou a presidente.

DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO

“O desenvolvimento econômico conjugado ao social é uma das grandes demandas estimuladas pelo governador, Marcos Rocha, e nós estamos trabalhando essa área com o coração e uma enorme motivação”, comentou Adir.

Na próxima terça-feira (9), a presidente se reunirá com a secretária de Estado da Assistência e Desenvolvimento Social (Seas), Luana Rocha, para definir ações de capacitação da mulher chefe de família. Os cursos para essas mulheres começarão até maio de 2021, com a disposição de qualificação em estética, planejamento de vendas e controle de negócios. “O empoderamento com cidadania e dignidade virá com a obtenção de renda. É o protagonismo da mulher mantendo o seu próprio negócio”, diz Adir.

COOPERATIVISMO

Em Mutum-Paraná, os alunos aprenderão agroecologia na própria floresta regional, com formação real, abrindo caminho para a instalação da escola técnica nesse distrito, a 164 quilômetros de Porto Velho, sentido região do Abunã e Estado do Acre. Nesse curso, os jovens assumirão compromisso com o projeto de recomposição de áreas degradadas durante a construção da Usina Hidrelétrica Jirau. “O próprio consórcio dessa usina irá capacitá-los”, disse Adir.

O cooperativismo é o forte componente já existente, visando à facilitação dos cursos. Cooperativas de pequenos produtores produzem polpas de açaí, queijos e farinha de mandioca, além de oito tanques de piscicultura funcionando na região, onde há também um museu arqueológico que, possivelmente, será transferido à Universidade Federal de Rondônia (Unir). “Quando as peças forem retiradas do prédio onde estão, haverá espaço para o funcionamento da escola”.

Os interessados nos cursos profissionalizantes podem se matricular através do site do Idep: http://cursos.idep.ro.gov.br/

Por Secom/Governo de Rondônia