Foto: José Hilde / Decom-ALE-RO

A tarde desta quinta-feira (29), foi de alegria para os Escotitas de Rondônia. Admirador dos princípios defendidos pelo movimento, o deputado Lazinho da Fetagro concedeu Voto de Louvor para presidentes e ex-presidentes da Região Escoteira de Rondônia, fundadores de Grupos de Escoteiros e para algumas crianças e jovens escoteiras, durante sessão solene realizada no Plenário da Assembleia Legislativa de Rondônia.

Lazinho explica que o escotismo é um movimento juvenil mundial, educacional, voluntariado, apartidário e sem fins lucrativos e tem como proposta o desenvolvimento do jovem – por meio de um sistema de valores que prioriza a honra, baseado na Promessa Escoteira e na Lei Escoteira (ou Lei do Escoteiro).

O parlamentar aponta ainda, que em Rondônia, há quatro décadas, um grupo de pessoas mantém viva a prática e a metodologia escotista de forma voluntariada e independente de apoio de qualquer agente público ou privado.   “Nunca imaginei que um dia teria o prazer de homenagear os escoteiros de Rondônia. Quando criança, fui guarda-mirim e aprendi a valorizar as pessoas que fazem a diferença”, destacou.

Em agradecimento, os escoteiros surpreenderam o deputado com uma Medalha de Gratidão – grau bronze, concedida como forma de reconhecimento para pessoas, que apoiam o escotismo, o parlamentar foi também iniciado no movimento.

“Eu não esperava por essa homenagem e agradeço muito. Todo ser humano tem um pouco de vaidade e o reconhecimento engrandece nosso trabalho”, disse.

Convidados

O ex-membro juvenil do Movimento Escoteiro, Rafael Lucas, fez uso da palavra para agradecer a iniciativa do deputado Lazinho da Fetagro e reforça a importância do grupo. “Nosso movimento necessita desse apoio. O escotismo realiza um trabalho importante e isso precisa ser destacado. Nossas crianças aprendem muitos valores e crescem com princípios”, pontuou.

Segundo o Grande Oriente do Brasil da Loja Maçônica Luz e Perseverança, Thiago Castro de Oliveira, os princípios dos escoteiros convergem com os princípios da maçonaria. “Eu venho acompanhando o movimento, e os nossos princípios preservam valores iguais.  As lojas maçônicas estão sempre abertas para ajudar com a expansão do movimento nos 52 municípios de Rondônia. Minha filha e escoteira e fico feliz em ver que assim como ela, essas crianças estão sendo bem encaminhadas”, ressaltou.

Para o secretário das entidades para Maçônicas da Grande Loja Maçônica de Rondônia, Gley Pullig, está homenagem marcará para sempre a vida dos escoteiros. “É uma honra está aqui. Eu trabalho com jovens e quando vejo esses meninos e meninas empenhados em um movimento tão importante, fico muito feliz. A Grande Loja acredita que esses jovens serão pessoas formidáveis com futuros incríveis. Se cada pai e cada mãe do nosso Estado tivesse a oportunidade de encaminhar seus filhos, muita coisa seria diferente”, frisou.

A portadora da Insígna de Madeira e diretora Regional de Escotismo, Sueli Cristina Franco, explicou que o movimento escoteiro foi idealizado para os jovens. “Nosso papel de educador e de muita responsabilidade, estar à frente da educação de uma criança é um encargo muito grande. Se estamos aqui hoje sendo homenageados e com o objetivo de garantir que esses jovens sejam capazes de viver com honra, com lealdade, sempre servindo o próximo, sendo consciente dos seus direitos, que sejam comprometidos com seus projetos de vida, que sejam capazes de encontrar seus caminhos na sociedade e que sejam muito felizes”, destacou

Para a ex-presidente da região Escoteira de Rondônia Diles Angelina Santolin, os pais devem seguir seus filhos no movimento. “A minha alegria e de ver a pessoas levando esses grupos com tanta competência. Os pais devem acompanhar seus filhos e incentivar a participação no movimento. Eu recomendo que vocês sigam no escotismo. Espero que as autoridades continuem apoiando esse movimento, pois eles são o nosso futuro”, disse.

O vice-presidente da região Escoteira de Rondônia, Márcio Silva Paes, agradeceu o proponente da sessão pela homenagem e destacou que o movimento é para jovens e feito pelos jovens “A vitalidade desses crianças, jovens e adolescente que passa pelos nossos caminhos, aliada a experiência dos voluntários, renova as nossas energias”, ressaltou.

Márcio destaca ainda que para se juntar ao Movimento Escoteiro como jovem é preciso ter entre 6,5 e 21 anos; a partir daí a atuação se dá como adulto voluntário, sem limite de idade. “Acreditamos que por meio da proatividade e da preocupação com o próximo e com o meio ambiente, podemos forma jovens engajados em construir um mundo melhor, mais justo e mais fraterno”, finalizou o vice-presidente da região Escoteira de Rondônia.

Por Laila Moraes – Decom-ALE/RO