Jaqueline Fonseca / Assessoria

Médicos formados no exterior, que querem exercer a profissão no Brasil, precisam ser
aprovados no Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos expedidos por Instituição de Educação Superior Estrangeira, o Revalida. Porém, não há periodicidade na realização da prova, o último edital foi aberto em 2017.

Para discutir esse problema e cobrar respostas do Governo Federal, a deputada Jaqueline
Cassol (PP-RO) se reuniu, juntamente com outros parlamentares que defendem a causa, na tarde da última quarta-feira (29), com o presidente da República Jair Bolsonaro (PSL).

Jaqueline Cassol defendeu que é necessário que haja regularidade e periodicidade na
realização do Revalida. “Em 2011, o Ministerio da Educação anunciou que a prova seria anual. Infelizmente não se concretizou. A última vez que houve inscrição foi em 2017 e levou dois anos até sair o resultado final.”

Durante a reunião também foi pedido ao presidente que haja uma atenção especial ao
Programa Mais Médicos, que para a deputada deve funcionar em sintonia com o Revalida.
“Existem algumas localidades onde apenas os médicos estrangeiros aceitam trabalhar. Além disso, nós sabemos que muitos brasileiros estudam fora e desejam voltar para trabalhar em casa. E, recorrentemente, isso se torna possível através do Mais Médicos. Ou seja, é essencial que as duas políticas estejam em sintonia”, destacou Jaqueline Cassol.

O Presidente da República, Jair Bolsonaro, recebeu os pedidos e garantiu que tomará
providências céleres junto à sua equipe ministerial.

Também participaram da reunião os deputados Alan Rick (DEM-AC), João Roma (PRB-BA),
Professora Dorinha (DEM-TO). Além dos ministros da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, e da
Educação, Abraham Weintraub, o presidente do Instituto Nacional Estudos e Pesquisas
Educacionais Anísio Teixeira (INEP), Alexandre Lopes, o Secretário de Educação Superior,
Arnaldo Lima Júnior e da Secretária de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, Mayra
Pinheiro.

Fonte: Jaqueline Fonseca / Assessoria