Covid-19: Rio de Janeiro faz 2.788 autuações em três dias de operações

Divulgação/Prefeitura do Rio de Janeiro

Em três dias de fiscalizações para verificar o cumprimento do novo decreto da Prefeitura do Rio, que determinou a parada emergencial entre 26 de março e 4 de abril, foram registradas 2.788 autuações entre multas e interdições a estabelecimentos, infrações sanitárias, multas de trânsito, reboques e apreensões de mercadorias. Dessas, houve 289 multas a bares, restaurantes e ambulantes. A fiscalização também interditou 42 estabelecimentos que não respeitavam as determinações atuais na capital fluminense.

De acordo com a Secretaria de Ordem Pública (Seop), boa parte das autuações (1.188) ocorreu ontem (28), quando 12 estabelecimentos foram fechados e aplicadas 43 multas a ambulantes, restaurantes e bares. Além de agentes da Seop, as equipes de fiscalização contam com integrantes da Guarda Municipal, do Instituto Municipal de Vigilância Sanitária e apoio da Polícia Militar, que percorreram os bairros de Santa Cruz, na zona oeste; Tijuca, Vila Isabel, Maracanã, Andaraí, Vista Alegre, Vila da Penha, Madureira, na zona norte; Flamengo, Botafogo, Laranjeiras, Catete, Largo do Machado, na zona sul.

As fiscalizações são realizadas também com bloqueios móveis em pontos estratégicos da cidade para impedir a entrada de ônibus e vans fretados, que eventualmente estejam descumprindo as determinações da Prefeitura

O secretário de Ordem Pública, Brenno Carnevale, destacou a abrangência das ações que estão sendo feitas. “Pela natureza do atual decreto, nossas fiscalizações passam por operações nas praias, comércio regular e ambulante, bares e restaurantes, além de eventuais festas clandestinas e temos feito isso nos mais diversos pontos do município”.

Para o secretário, embora o resultado seja satisfatório, até agora é preciso manter a fiscalização rígida. “O saldo, no geral, é positivo, mas sabemos que precisamos continuar firmes com o trabalho de orientação e fiscalização para autuar aqueles que ainda seguem desrespeitando as regras”, observou.

Apesar das operações diárias, ainda há aglomerações, especialmente, em festas clandestinas. Ontem à tarde, uma das equipes de fiscalização da Seop fechou uma pool party com cerca de 300 pessoas, no bairro da Taquara, na zona oeste do Rio. O responsável pelo evento foi identificado e autuado. No início da noite, no bairro de Colégio, na zona norte, um outro evento foi interditado. Segundo a Seop, a festa tinha aproximadamente 150 pessoas. Lá também, o organizador foi multado.

Já no início da madrugada de hoje (29), uma operação da Seop encerrou uma rave que reunia cerca de 2 mil pessoas. A festa era em uma pousada em Vargem Pequena, na zona oeste. A equipe não conseguiu identificar o responsável pelo evento e a autuação foi feita em nome do estabelecimento.

As multas para o descumprimento do decreto variam de R$ 2.800,00 a R$ 15.000,00, conforme a avaliação da Vigilância Sanitária conforme provas e evidências apresentadas.

Guarda Municipal
Dentro das operações de fiscalização a Guarda Municipal atua também de maneira destacada em todo o município, em pontos onde são registradas aglomerações e nas denúncias enviadas por cidadãos via Central 1746 da Prefeitura do Rio. Nesses três dias de operações as equipes atenderam chamados nos bairros de Madureira, Campinho, Vila Valqueire, Engenho Novo, Bento Ribeiro, Tijuca, Ilha do Governador e Vila Isabel, na zona norte; Leblon, Gávea, Copacabana, Urca, Botafogo, na zona sul; Taquara, na zona oeste; e Lapa e Centro do Rio, entre outros locais.

A Guarda Municipal também fez patrulhamento em toda a orla da cidade para orientar banhistas sobre a proibição da permanência na areia. As rondas ocorreram nas praias do Leme ao Pontal, incluindo Flamengo, Botafogo e Urca, praias da Baía de Guanabara. Para restringir o acesso às praias de Grumari, Prainha, Barra de Guaratiba e Joatinga, na zona oeste, foram montados bloqueios nas principais vias.

As equipes do Grupamento Especial de Trânsito que percorreram a orla para fiscalizar a proibição de estacionamento determinada no decreto multou 596 veículos no fim de semana.

Durante as ações de patrulhamento, o som das viaturas foi utilizado para emitir mensagens sonoras com orientações de prevenção do contágio do novo coronavírus, como lavar as mãos constantemente e o uso da máscara de proteção facial. As ações são realizadas em pontos que registram grande movimento de pessoas como praias, praças e paradas de transporte público.

Mesmo com todo o trabalho de fiscalização, o fim de semana foi de aglomerações na orla do Rio, com flagrantes de banhistas nas praias do Leme, Copacabana, Arpoador, Ipanema, Leblon e Barra da Tijuca. A permanência nas praias está proibida. A permissão é apenas para atividades esportivas individuais, incluindo mergulhos e prática de surf.

BRT
Para impedir aglomerações e a ocorrência de calotes no pagamento das passagens, o patrulhamento foi reforçado nas estações do BRT, nos três corredores do sistema (Transcarioca, Transolímpica e Transoeste). Apesar do esquema, as aglomerações continuam mesmo com a intervenção no BRT, que completa uma semana amanhã, feita pela Prefeitura do Rio. Com a intervenção, o município colocou ônibus extras comuns não articulados como os característicos do sistema, mas a medida não resolveu o problema que atinge os passageiros que fazem o deslocamento em ônibus lotados e enfrentam filas extensas nas estações. O pior é que muitos ainda entram nos veículos sem usar máscaras de proteção.

Por Agência Brasil