Política

Deputados prestigiam Dia de Campo do café clonal em União Bandeirantes

O presidente da Assembleia Legislativa, Maurão de Carvalho (PMDB) e o deputado Ribamar Araújo (PR), participaram no final de semana de um Dia de Campo de Café Clonal, realizado na linha 1º de Maio, no Travessão 25 de Novembro, no distrito de União Bandeirantes, em Porto Velho.

Na oportunidade, os parlamentares ressaltaram a importância de se fortalecer o setor produtivo, como forma de assegurar emprego e renda. O deputado Léo Moraes (PTB), o vereador Jurandir Bengala (PR), o secretário executivo da Emater, Chiquinho da Emater, o secretário de Agricultura de Porto Velho, Evaldo Lima, também participaram do evento.

“O café é uma cultura que tem trazido uma boa renda aos produtores, além de gerar receitas ao Estado e aos municípios. Temos trabalhado para que haja a expansão da cafeicultura e é por isso que estamos aqui, prestigiando este evento tão importante”, destacou Maurão.

Ribamar, que recentemente participou da entrega de uma ambulância, fruto de emenda de sua autoria para União Bandeirantes, ressaltou que a localidade tem se destacado na produção agropecuária, e que o café clonal está chegando e se mostrando uma boa opção de renda às famílias do campo. “Em razão disso, estou destinando recursos, através de emenda, para a aquisição de 50 mil mudas de café aqui para o distrito”, anunciou.

Maurão informou que a expectativa é de que os deputados assegurem emendas, no valor de R$ 1,5 milhão, para apoiar as ações da Embrapa e da Emater, voltadas à cafeicultura. O presidente ainda anunciou que uma carreta bi-trem deverá ser adquirida para fazer o transporte de calcário das jazidas até os produtores rurais.

Café em alta

O Dia de Campo foi realizado na propriedade de Luís Carlos Gonçalves, de 55 anos, que veio há quatro anos do Espírito Santo, onde sempre cultivou o café. Ele tinha um sítio pequeno, de apenas um alqueire. Agora, o produtor possui 101 hectares, onde cultiva seis mil pés de café clonal, está prevendo plantar mais cinco mil e 3.400 pés de banana está produzindo.

“Faz um ano e meio que plantei o café clonal. Tive que fazer adequações ao meu sistema de plantio, correção do solo e buscar alternativas. A irrigação, por exemplo, adquiri em Alto Alegre dos Parecis, muitos adubos e insumos não encontro aqui na região, que precisam ser trazidos de Cacoal. Mas, mesmo assim, estou confiante de que teremos bons lucros no café”, disse o produtor.

Luís Carlos também relatou o alto custo do transporte do calcário e da necessidade de se ter o subsídio governamental nesse serviço. Para 2017, a previsão da Emater é que sejam colhidas 2,115 milhões de sacas de café em Rondônia. Há quatro anos, a safra era de pouco mais de um milhão de sacas.

Fonte: ALE/RO – DECOM

COMENTAR

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close