Athletico-PR elimina o Peñarol e enfrentará o Bragantino na final da Sul-Americana

Divulgação/@SudamericanaBR

Depois de três anos do título, o Athletico-PR terá a chance de buscar, mais uma vez, o lugar mais alto da Sul-Americana. Se no primeiro duelo o Furacão já havia conquistado uma boa vantagem, ao vencer por 2 a 1. Nesta quinta-feira (30), na Arena da Baixada, em Curitiba, a equipe paranaense mostrou novamente porque merecia uma vaga na decisão, com o triunfo por 2 a 0. Os gols foram marcados por Nikão e Pedro Rocha, o rubro-negro que ainda contou com um pênalti defendido por Santos.

Esta é a segunda vez que o Athletico-PR chega a uma final continental. Na decisão de 2018, o Furacão foi campeão em cima do Júnior Barranquila (COL). Caso conquiste a Sul-Americana, o Furacão será o terceiro time a levantar duas vezes o troféu da competição. Em 20 edições, apenas o Boca Juniors (2004 e 2005) e o Independiente (2010 e 2017) realizaram tal feito.

Assim como a Libertadores, a Sul-Americana terá uma final entre equipes brasileiras. Na decisão do dia 20 de novembro, em Montevideú, no Uruguai, o Athletico-PR enfrentará o Red Bull Bragantino, que chega pela primeira vez a uma decisão continental. Com isso, o Brasil já garante o quinto título na competição. O último foi conquistado justamente pelo Furacão.

O Jogo

Com era de se esperar, o Peñarol começou o jogo pressionando o Furacão. Com as investidas ofensivas do adversário, o Athletico-PR se fechou e optou por aproveitar para contra-atacar. A primeira chance dos uruguaios foi aos 5min, com Facundo Torres, que em boa oportunidade na pequena área, mas acabou chutando para fora.

O dia era dos donos da casa, aos 23 min, o rubro-negro tornou a vida do Peñarol ainda mais difícil. Terans arrancou do campo de defesa e encontrou Nikão livre, o camisa 11 soltou um belo chute de fora da área que teve destino certo, o fundo do gol.

O Peñarol teve a principal chance de começar uma reação aos 28 min, quando Juan Ramos foi derrubado na área por Erick, o árbitro viu pênalti na jogada. Na cobrança, Santos ficou parado no meio do gol e defendeu o chute de Ceppellini. Apesar da oportunidade desperdiçada, os uruguaios terminaram o 1ºT pressionando a saída de bola, dificultando a construção de jogadas do Furacão.

Com uma ampla vantagem, o Athletico-PR controlou o 2ºT, por outro lado, o Peñarol não voltou tão inspirado como na primeira etapa. Aproveitando para rodar o elenco, Autuori promoveu algumas mudanças na equipe e foi com Pedro Rocha, vindo do banco, que saiu o segundo tento do Furacão.

Aos 34 min, Pedro Rocha recebeu belo passe de Nikão na área, o atacante driblou a defesa adversária e chutou no canto de Dawson, sem grandes chances para o goleiro. Com a classificação encaminhada, coube ao Furacão administrar os minutos finais do duelo e festejar a classificação para a final da Sul-Americana.

Por CBF