Governo de Rondônia executa força-tarefa de segurança na transferência de pacientes a outros estados

Secom/Governo de Rondônia

O Governo do Estado de Rondônia não tem medido esforços em dar todo o suporte necessário aos pacientes acometidos pela Covid-19, que foram transferidos a outros estados do país para dar continuidade ao tratamento da doença. A ação conjunta com o Governo Federal, por meio do Ministério da Saúde (MS) e Ministério da Defesa, já resultou na transferência de 31 pacientes em quadro clínico de leve a moderado, sendo 13 enviados para Curitiba (PR) e 18 a Porto Alegre (RS), que foram acompanhados por uma equipe composta por médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem para atender qualquer intercorrência que houvesse durante o voo.

Antes do embarque dos pacientes, ainda em solo, uma megaestrutura de segurança, com o apoio do Exército Brasileiro, é montada desde a saída das unidades hospitalares de origem até a Base Aérea. “O Governo de Rondônia tem se empenhado nesta força conjunta com o propósito de salvar vidas. Toda essa logística é planejada de forma estratégica para que os pacientes sejam transferidos de forma segura e acolhidos nos outros estados da mesma maneira”, enfatizou Sérgio Pereira.

VOO PELA VIDA

A aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB), usada para fazer o translado dos pacientes (de quadro clínico leve a moderado) é toda equipada, com materiais necessários, como: ventiladores, aspiradores, desfibriladores, oxigênio, entre outros importantes.

De acordo com o diretor do Hospital Infantil Cosme e Damião, Sérgio Pereira, que acompanhou o primeiro translado e agora está responsável pela logística de insumos e de equipes, ao chegar no destino, a Secretaria de Saúde do Estado local já deixa uma estrutura montada para acolher os pacientes e, após triagem, serem encaminhados ao hospital de referência.

A gerente de Programas Estratégicos da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), Annelise Medeiros explica que os pacientes já estando no hospital de referência, são acompanhados por equipe multidisciplinar, que envolve médicos, assistentes sociais e psicólogos. Através dessa equipe, os familiares são informados, diariamente sobre o boletim médico do paciente e seu estado clínico, por meio de ligação telefônica, videochamada ou (caso não consiga contato com o familiar) por mensagens de aplicativo.

Para acompanhar a evolução e o bem-estar dos pacientes transferidos, o Governo do Estado, por intermédio da Sesau possui uma equipe que faz contato diretamente com os hospitais de referência, para receber informações precisas de cada um, além de articular com o Ministério da Saúde a logística de retorno dos pacientes, quando receberem alta. “A secretaria de Estado da Saúde local faz todo o protocolo de atendimento, conforme cada caso. O retorno desses pacientes a Rondônia será feito, parcialmente, de acordo com a liberação de alta de cada um”, detalhou Annelise, informando ainda que já há previsão de alta de um paciente, no Hospital das Clínicas, em Porto Alegre.

Além disso, outros quatro pacientes, com quadro clínico mais grave, de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) também foram encaminhados, via aérea, para Cuiabá (MT).

Por Secom/Governo de Rondônia