SaúdeÚltimas Notícias

Setor de Nefrologia é referência no atendimento a paciente renal agudo e crônico em Porto Velho

O setor de Nefrologia do Hospital de Base Ary Pinheiro, inaugurado há 3 anos para tratamento de pacientes renais agudos e crônicos, atende a pacientes que dão entrada no Pronto-Socorro João Paulo II, Centro de Medicina Tropical de Rondônia (Cemetron), ou de outros municípios, além de pacientes internados n as Unidades de Terapia Intensiva (UTI).

Antes esse serviço era terceirizado, clínicas particulares conveniadas pelo Serviço Único de Saúde (SUS) realizavam os atendimentos, o que não supria as necessidades desses pacientes, às vezes por falta de máquinas ou de transporte.

Hoje o setor de Nefrologia que fica dentro do Hospital de Base, conta com máquinas ultramodernas, com fiscalizações e manutenções preventivas e corretivas e com uma equipe multiprofissional, entre médicos e enfermeiros nefrologistas, técnicos, motoristas, atendendo cerca de 50 pacientes por mês.

José Gomes tem 60 anos, mora no município de Ouro Preto do Oeste, e há cerca de um ano  faz tratamento renal. Nos últimos meses seu estado de saúde agravou e ele teve que fazer hemodiálise. “Quando o médico disse que eu precisava fazer a hemodiálise, logo fui encaminhado pra cá, e fui logo atendido, aqui me trataram muito bem, sou muito grato, já me sinto muito melhor”, disse seu José.

“Esse serviço é muito benéfico por estar dentro do hospital, o paciente precisou do atendimento, nossa equipe vai até ele, traz pra Nefrologia, ou se está grave demais vamos até a UTI. Hoje em menos de 24 horas uma avaliação com nefrologista é realizada, e se indicado a diálise, imediatamente é feita, é um serviço muito ágil”, ressaltou a gerente de Núcleo, Natália Gonçalves.

Insuficiência renal é a perda das funções dos rins, podendo ser aguda ou crônica. As causas desta doença são várias, atingindo grande parte das pessoas hipertensas e diabéticas, homens acima dos 40 anos de idade são os mais diagnosticados com doença renal aguda e crônica. Esses pacientes chegam a fazer várias sessões de hemodiálise ao mês, chegando a 3 vezes por semana.

José Gomes é atendido no Núcleo de Nefrologia do Hospital de Base

Fonte: Secom – Governo de Rondônia


COMENTAR

Tags

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close